Hoje os aposentados e pensionistas do INSS contam com algumas opções quando precisam de dinheiro extra para quitar dívidas, emergências ou para realizar um sonho.

consignado INSS

O empréstimo consignado do INSS é uma dessas opções, uma modalidade de empréstimo voltada especialmente para este público.

Vamos te contar tudo que é preciso saber sobre este empréstimo e te dar algumas dicas para fazer um empréstimo consignado INSS.

Como funciona um empréstimo consignado?

O funcionamento do empréstimo consignado do INSS é semelhante ao de um empréstimo consignado para funcionários de empresas que trabalham com carteira assinada.

O aposentado ou pensionista pede determinado valor à uma instituição financeira, e o valor das parcelas desse empréstimo será descontado diretamente no benefício antes do recebimento pelo beneficiário.

Nesta modalidade as taxas de juros são mais baixas do que nos empréstimos comuns, devido ao risco reduzido que o banco tem de não receber o valor emprestado.

Quais são as condições deste tipo de empréstimo?

As regras para os empréstimos consignados são definidas pelo INSS:

  • A taxa máxima que pode ser cobrada no consignado do INSS é de 2,08% para empréstimo e 3% para cartão de crédito consignado;
  • O empréstimo pode ser parcelado em até 72, no máximo;
  • As financeiras não podem cobrar Taxa de Abertura de Crédito (TAC);
  • Para cartão de crédito consignado, as financeiras podem cobrar taxa de emissão de cartão, no valor de R$ 15,00, parcelado em até 3 vezes;
  • O depósito do valor emprestado não pode ser feito em contas de terceiros;
  • O empréstimo só pode ser feito dentro do estado onde o aposentado ou pensionista recebe o benefício;
  • O empréstimo pode ser feito em qualquer banco, independentemente de onde o aposentado ou pensionista receba o benefício;
  • A margem consignável, é o valor máximo da renda a ser comprometida, não pode ser superior a 35%, sendo 30% para empréstimo consignado e 5% para cartão de crédito consignado.

Porque o empréstimo consignado é uma boa opção?

  1. Desconto direto no benefício:

O desconto direto do valor do benefício mensal ajuda o aposentado a não atrasar parcelas, e evita a necessidade de ir ao banco para pagamento de boletos.

  1. Taxas de juros competitivas:

Enquanto num empréstimo pessoal as taxas de juros podem chegar facilmente a casa dos 8% ao mês, no empréstimo consignado do INSS essa taxa nunca será maior do que 2,08%

  1. Sem consulta ao SPC e Serasa:

A consulta ao SPC e Serasa serve para que a instituição financeira conheça o histórico de pagamentos do cliente e assim defina se aquele contrato possui ou não riscos de inadimplência.

Como essa possibilidade no consignado do INSS é praticamente nula, os bancos não costumam fazer este tipo de consulta para esta modalidade de empréstimo.

Quais são os pontos de atenção ao fazer um empréstimo consignado?

Apesar de ser uma excelente opção para os aposentados e pensionistas, é preciso ter alguns cuidados na hora de fazer um empréstimo consignado. Veja as dicas que separamos:

  1. Consulte as instituições financeiras credenciadas

Muitas instituições financeiras oferecem empréstimo consignado, mas nem todas são credenciadas para isso, o que pode ser um golpe.

O INSS disponibiliza uma lista de instituições cadastradas e autorizadas a realizar esse serviço. Sempre consulte se a sua financeira está nesta lista.

  1. Peça a informação do custo total

Apesar de o INSS obrigar as financeiras a informar ao aposentado e pensionista qual é o valor total de empréstimo, muitas não seguem essa exigência.

Peça sempre qual será o valor total do empréstimo, ou seja, quanto será pago no final do período. Essa informação é importante para que você saiba exatamente o que está contratando.

  1. Não pague para conseguir empréstimo

É proibida pelo Banco Central a cobrança de taxas ou qualquer valor para disponibilizar empréstimos consignados.

Não pague nenhum valor à financeira para conseguir seu empréstimo, e denuncie caso seja cobrado. Como já informamos, as instituições são proibidas inclusive de cobrar Taxa de Abertura de Crédito (TAC).

  1. Cuidado ao passar informações

Principalmente se estiver fazendo o empréstimo de forma remota – pela internet ou telefone – tenha muito cuidado ao passar suas informações pessoais.

Preferencialmente, se puder, vá até a financeira que escolheu e faça o processo pessoalmente.

  1. Pesquise

Apesar de a taxa máxima de juros cobrada ser de 3%, muitas instituições cobram valores menores do que esse para conceder empréstimos.

Para ajudar, o INSS disponibiliza uma tabela com as taxas de juros praticadas no mercado. Lembre-se que o aposentado não é obrigado a contratar com o mesmo banco em que recebe empréstimo. Escolha a taxa mais atrativa, no banco ou financeira em que se sentir mais confortável.

  1. Acompanhe os valores descontados

Como o aposentado pode pegar vários empréstimos enquanto tiver margem consignável, é fácil perder o controle dos valores e parcelas pagas, e quanto ainda falta para quitar o empréstimo.

Sempre consulte o seu extrato do INSS, inclusive para garantir que não estão acontecendo descontos indevidos no seu benefício.

Pelo extrato do INSS, é possível ver todos os detalhes de cada um dos empréstimos.

  1. Faça as contas antes de pegar emprestado

Não se iluda pelo valor baixo da taxa de juros. Todo empréstimo é uma dívida que pode sair do controle. Decida qual é a sua necessidade e peça emprestado apenas o valor que precisa, e evite comprometer seu benefício.

Lembre-se, o empréstimo já será descontado do pagamento, então você não poderá contar com aquele valor por alguns meses.

emprestimo consignado INSS

Seguindo estas dicas para fazer um empréstimo consignado INSS, com certeza você poderá fazer o seu com tranquilidade e utilizar este benefício do INSS para conseguir cumprir seus compromissos ou realizar seus sonhos!

Dicas para fazer um empréstimo consignado INSS